Café Minuto – criar gado de corte não é fácil

 

JÁ DEU! – Desde que começou o surto do corona não se morre mais de outras doenças. Repare bem, não se ouve falar de gente que morreu de câncer, de AVC, infarto, hemorragia, infecções, trombose… e outras tantas doenças. Tento ver notícia sobre alguém que morreu dessas doenças e não acho nada. O vírus parece que acabou com todas elas e reina sozinho, o único que gera medo, pânico e mortes. E ganha destaque na mídia internacional. Só se fala dele e seu avanço coronando o mundo, pulando de um para a outro infectando e matando gente. Eu não aguento mais ver todo dia destaques na mídia com informações sobre cuidados, sobre médicos, infectologistas, e o placar da escalada do vírus. Casos confirmados e mortos na Itália, Espanha, EUA, Brasil, S. Paulo… Além dos vídeos e áudios que invadem as redes sociais com seu comportamento hostil com as mesmas notícias que estão no ar 10 mil vezes por dia. Acho que tem muita mais gente, além de mim, que já está no gargalo. Esse maldito vírus e seu placar na escalada do mal. Chega! Já deu.

ESPERANÇA – Notícias ruins e negativas gera baixo astral nas pessoas. Aumento de casos suspeitos, casos confirmados, mortes, hospitais lotados, colapso na saúde… Socorro! Quero minha mãe! Porque não divulgar notícias que trazem esperança? Por exemplo: A FDA, referência em alimentos e medicamentos nos EUA, o que ela aprova o mundo aprova, aprovou a cloroquina e hidroxicloroquina para tratamentos emergenciais do corona, apesar de não haver provas conclusivas de sua eficácia. A vacina pode chegar mais depressa do que se espera. A Universidade de Oxford convocou 510 voluntários para os primeiros testes em humanos de uma vacina desenvolvida por eles. A Johnson & Johnson vai começar os testes em setembro e prevê colocar um bilhão de doses no início de 2021. Outros centros de pesquisas e empresas estão no mesmo caminho. Aqui, cientistas fizeram o sequenciamento genético do corona que circula pelo país. Isso vai permitir informações da identidade que o vírus está adquirindo desde que desembarcou clandestinamente no Brasil. Ele chegou e já começa a ganhar características “brasilianas” enquanto se espalha por aí. Esse trabalho índica que o corona chegou da Europa, mas não se sabe em que voo, ou voos. O trabalho prova a transmissão comunitária, há muitos grupos viróticos parecidos entre si, são irmãos, primos… Não é melhor notícias que tragam esperanças?

TRAVESSURAS – Chega de corona. Vamos desestressar. Joãozinho, 8 anos, e Zezinho, 10 anos, eram dois irmãos travessos. Tudo o que acontecia na pequena cidade que moravam, a mãe deles, Katiagarra, sabia que a culpa era deles. Um dia o padre Aldorreido, famoso educador de crianças, chegou a cidade. Katiagarra foi conversar com ele, falou dos filhos pedindo para por os dois na linha. O padre concordou de bom grado e pediu para enviar um garoto por vez. No dia seguinte chamou Joãozinho e pediu para ele ir a igreja para falar com o padre Aldorreido. Joãozinho ficou receoso, mas a mãe disse que era uma conversa apenas. Ao entrar disse quem era e que a mãe pedira para ele ir até lá. Padre Aldorreido assentiu com a cabeça e perguntou a ele, na lata – Meu garoto onde está Deus? Joãzinho ficou parado, mudo. O padre repetiu a pergunta – Onde está Deus? Joãozinho continuou parado e mudo. Na terceira vez que o padre fez a pergunta Joãozinho disparou para casa e se escondeu debaixo da cama. Zezinho logo encontrou o fujão e perguntou – O que houve? Porque está escondido? – Puxa! Agora estamos ferrados irmão! – Deus sumiu e o padre está achando que a culpa é nossa.

FENIX – A Coreia do Sul nos anos 50 era pior que o Brasil, que não era lá essas coisas. Tal como uma fênix alçou voo. Educação entre as melhores do globo, alta tecnologia: a Samsung é líder mundial em TVs, faz carros de alta qualidade, computadores e para não se alongar, muitos etc. Já superou o Japão em vários indicadores. Mas ainda tem um problema, a desigualdade social. Mas tem tudo para diminui-la. Os números mostram que não está longe do Japão. Seu índice é de 0,35, Japão 0,34 – quanto maior a desigualdade, mais próximo de 1. Outros indicadores: o primeiro índice é da Coreia, o segundo do Japão. Desemprego: 3,6% – 2,3% Gasto público com educação: 3,5% do PIB – 2,5%. Maior empresa de eletrônicos: faturamento em 2019, Samsung 195 bi de dólares, Sony 78 bi. Estimativa de crescimento (2021) 2,3% – 0,7%. PIB per capita 42. 136 dólares – 41.502. Nota no Pisa (programa de avaliação de alunos do ensino médio de 58 países em leitura, matemática e ciências) 514 (4º. no mundo) – 503. Exportadores de cosméticos (ambos os países estão entre os grandes fabricantes) 4,9 bi de dólares – 3,9 bi, 4º. e 5º. respectivamente no mundo. O Brasil de 50 está muito melhor que hoje, não há dúvida, cresceu, progrediu muito. Mas umas perguntinhas mostra o quão longe estamos da Coreia do Sul: tem marca de carro brasileira? Tem TV Smart com marca brasileira? Celular brasileiro? Qual é o nosso PIB per capita? Vou falar baixinho para os japas e os coreias não ouvirem: 6.907 dólares – 6 vezes menor que dos coreiasjapas. Pegue o lenço e enxugue as lágrimas.

NA RABEIRA – Eis um motivo para as lágrimas. A tecnológica está aí. Internet móvel, Inteligência Artificial, Big Data… E nós com baixos investimentos na área, comparado com EUA e China. É claro que mesmo que tivéssemos mais investimentos nunca chegaríamos perto desses dois gigantes. Mas do jeito que está vamos continuar na rabeira. O site “Deu Tilt” convidou Silvio Meira, engenheiro eletrônico e PHD em computação e fundador do Porto Digital de Recife para falar sobre isso. Silvio explicou que a iniciativa privada não tem condições de assumir sozinha esses investimentos. O Silicon Valley, empresas tecnológicas da China e do Japão aconteceu depois que o setor público investiu em educação, ciência e tecnologia e inovação, que é a base de tudo. Aqui investimentos baixos impedem competitividade e baixa produtividade, criando um problemão para o setor de tecnologia e inovação. Faltam insumos tecnológicos, métodos e processos organizacionais para criar negócios globais. Silvio disse que o Brasil investe em tecnologia e inovação menos do que a Amazon, por exemplo. Nosso investimento é próximo do que as montadoras de automóveis investem. Dá pra fazer carro, uai!

A CARNE DO FUTURO – A carne é um dos melhores alimentos dos humanos. Tem muito mais proteína por quilo do que os vegetais, é saborosa e muito consumida, com exceção dos vegetas e veganos com seus matinhos. Mas criar gado de corte não é fácil. Você sabia que 70% da soja produzida no Brasil é consumida pelos bois? 8% de toda água do mundo é para matar a sede deles? Que contribuem com 15% da emissão de gases do efeito estufa, através do gás metano de seus puns? São dados preocupantes para o meio ambiente. Porém, os homens são criativos e uma empresa de tecnologia da Califórnia descobriu um meio de produzir carne de modo sustentável, sem prejuízo ao planeta. Prepare-se! Retira-se do corpo do boi vivo uma pequena porção de sua carne do tamanho de uma semente de gergelim. Depois a porção é levada a tanques semelhantes a estufas chamados cultivadores. Ali eles crescem e ganham gordura e músculos, como uma carne normal. Outras empresas já estão testando suas carnes: tiras de frango, almôndegas, nuggets… É um processo experimental, mas é o futuro da carne. Empresas de alimentos no mundo já estão de olho. É uma oportunidade de mercado para aqueles que se preocupam com o planeta e para os que não estão nem aí. Quanto ao sabor é de carne mesmo! Nada a ver com o sabor da “carne” vegetal. Mas calma gente! O processo tem muita estrada pela frente e seu custo ainda está além das nuvens. Uma tira de carne custa 50 dólares, 260 reais aproximadamente.

POP SOUL – Desde que surgiram nos anos 80 que eu sou fã da banda inglesa Simply Red. Gosto do som pop de suas canções. Seu líder, Mick Hucknal, 59 anos, ruivo de pele branca de leite, mas com sangue negro, vocalista e dono do Simply Red, cuida da banda com mão de ferro. Muitas de suas músicas têm uma levada soul. Sua própria voz tem um timbre rasgado e marcante e lembra os cantores negros do soul. Na verdade ele já fez muitas canções com sotaque negro com influencias do jazz. Faltava ele fazer um álbum de Soul, seus admiradores há tempos cobravam. Não falta mais. “Blue Eyed Soul”, seu mais recente trabalho é todo com canções desse gênero da música negra americana, compostas por Mick. Em entrevista ele revelou que com esse álbum, no fundo se considera um soulman, confirmando suas composições e sua voz.

DISCRETA E EFICIENTE – Assim é Tereza Cristina, Ministra da Agricultura. Ela passa longe da badalação e da mídia, seu foco é o trabalho. Os integrantes de seu ministério aplaudem seu desempenho, bem como de outras áreas do governo e fora dele. Distante de política e ideologias ela se empenha em melhorar a imagem do Brasil no mercado internacional. Ela não para, está sempre viajando para diversas nações, não se importando com suas ideologias políticas. O que Tereza quer é conquistar a diplomacia dos países que visita e fechar acordos de exportações da produção agrícola e da pecuária. O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP divulgou que 2019 foi um ano de festa para os agricultores. Foi o melhor ano da história para a turma da terra. Tereza Cristina, no entanto, tem atritos com o Chanceler Ernesto Araújo, mas mantém um clima civilizado. Certas atitudes do chanceler atrapalha o trabalho da ministra. Nas relações do Brasil com o Oriente Médio ela se desdobrou para melhorar o clima com os países da região. A manutenção de boas relações com a China e a Liga Árabe, em 2019, num momento em que o chanceler e o presidente namoravam um rompimento com ambas, Tereza peitou os dois e os convenceu da importância da China e da Liga para os negócios agrícolas. Poderosa!

CINEMA – Só em casa. Salas fechadas e não há previsão de quando serão abertas. Filmes programados para março e abril, Viúva Negra, Mulan em live action, Novos Mutantes, Velozes e Furiosos 9, 007 Sem Tempo para Morrer, Mulher Maravilha, agora não tem data para estrear. Várias produções foram interrompidas e ficaram na fila, como Peter Pan e Wendy, A Pequena Sereia, ambos em live action, NIghtmare Alley, filme de suspense com Bradley Cooper; Querida, Encolhi as Crianças, reboot do clássico dos anos 80. Mas quem tem Netflix, Now e outras estão bem. Sugiro alguns clássicos. Crepúsculo dos Deuses, 1950, é a saga de uma atriz, interpretada por Glória Swanson, uma das mais fascinantes personagens do cinema, ela é uma atriz em decadência e apega (até demais) a um jovem roteirista para voltar ao estrelato. O Sétimo Selo, 1957, uma das obras primas do sueco Ingmar Bergman, um dos maiores cineastas do mundo. Um cavaleiro das Cruzadas encontra o caos por causa da peste negra. O Bebe de Rosemary, 1968, clássico de Roman Polanski, com Mia Farrow, na época sua mulher. Ela é uma grávida que mora num condomínio e tem sua vida perturbada por estranhos vizinhos. O Exorcista, 1973, a história de uma garota possuída pelo demônio e submetida ao exorcismo por um padre, Na época, provocou sustos e arrepios na plateia. Tem filme para todos os gostos.

MUDANÇA DE RAMO – Com a queda na venda de automóveis as montadoras pularam para outro mercado. Aproveitando a demanda por respiradores para pacientes graves do corona, elas estão fabricando respiradores para hospitais. Os engenheiros das grandes montadoras já alteraram parte de sua linha de montagem. E até a F1 já entrou nessa. Destaque para a GM leia-se Chevrolet, e Ford que já tem encomenda para milhares de respiradores. Se o corona continuar nesse pique as montadoras planejam lançar respiradores com rodas. O paciente não precisa ficar no hospital, ganha mobilidade, vai onde quiser e o respirador vai junto. É só colocar o tubo na boca e viva a liberdade de ir e vir. Mesmo que seja do quarto para a sala.